quarta-feira, 27 de julho de 2016

AMIGOS NA SOLIDÃO - ABRO ASPAS

Excelente texto indicado por nosso amigo do blog Heavy Metal, indico a todos a boa leitura e novamente reafirmo o excelente texto do autor Flávio Quintela.

Abro aspas:

“A ignorância é a condição necessária da felicidade dos homens.” (Anatole France)

Política é geralmente o assunto desta coluna, e é também o assunto predominante em meus perfis de redes sociais. Muitas pessoas reclamam que não aguentam mais ouvir falar disso. Será que estão certas? É melhor não falar de política, não se envolver com essa “coisa suja”? Para mim, viver hoje no Brasil, ignorando a situação do país e o governo que pesa suas mãos sobre cada um de nós, equivale a viver num sonho controlado, num simulacro de democracia. No filme Matrix, Neo é chamado a uma decisão que mudaria sua vida para sempre, uma decisão sem volta: movido por uma profunda inquietação com o mundo em que vivia e por um sentimento constante de não pertencimento, ele toma a pílula vermelha, que o leva a descobrir que não passava de um escravo manipulado pelas máquinas, criado e mantido vivo para fornecer aquilo de que elas precisavam.

A pílula vermelha é difícil. Muito tempo atrás, um grande amigo meu me deu um livro, o primeiro volume de História da Filosofia, de Giovanni Reale. Na primeira página, uma breve dedicatória, algo que jamais esqueci: “O conhecimento da realidade traz a verdade. A verdade liberta. O preço da liberdade? A solidão. Boa sorte.”

Ele não poderia estar mais certo. Nos anos seguintes, abri os olhos para a realidade em que eu vivia. Embora sempre achasse que o Brasil tinha inúmeros defeitos, a preferência por não investigar a realidade de um modo crítico me permitia continuar vivendo na “matrix” e nela ser feliz. Com o tempo, a dedicatória profética de meu amigo se cumpriu: as camadas de verniz e tinta que escondiam a realidade foram retiradas, como num minucioso trabalho de restauração, e o que eu vi por baixo delas não foi uma obra de arte maravilhosa, e sim um retrato cru e inóspito do Brasil em que eu vivia; já não era possível aceitar nenhuma informação sem uma dose considerável de análise e estudo. O fato é que sobram pouquíssimas pessoas em sua lista de “gente com opinião a respeitar” depois que você começa a passar todos os discursos pela peneira da razão. É justamente daí que vem a solidão da verdade, pois há uma multidão que prefere viver no sonho, na simulação, no autoengano e na ignorância.

Aonde quero chegar? Simples: o que o Brasil é hoje, o é em grande parte devido a esse apego à felicidade baseada na ignorância. Não há nada mais agradável do que viver num sonho, e o brasileiro é o campeão mundial de viver sonhando. A simpatia e a alegria dos brasileiros, cantadas e entoadas como nossa maior virtude, são fruto de nossa maior fraqueza: a recusa em ver a verdade. Desde frases populares como “Deus é brasileiro” até canções que dizem “Moro num país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza”, o brasileiro nasce, cresce, reproduz-se e morre achando que o seu país é o que há de melhor no mundo, e que viver aqui é ser abençoado, é ser especial, é ser o topo da pirâmide universal de felicidade.

Os últimos anos foram muito atípicos, a meu ver: por um lado, o governo petista se avolumou e tomou uma posição de ataque às liberdades individuais, principalmente a de expressão; por outro, parece que muita gente anda tomando a pílula vermelha e acordando do sonho dirigido. Falo aqui das pessoas que têm partido para o engajamento intelectual, que têm se preparado para o debate de ideias, que têm povoado a internet com bons artigos, que têm escrito livros, que têm lutado por ideais e princípios justos. Muitos que já haviam se conformado com a solidão intelectual permanente passaram a conhecer outros solitários, e mais outro, e mais um ali, e assim por diante. São amigos, mesmo os que não se conhecem pessoalmente, de uma maneira aristotélica: acreditam nas mesmas coisas, buscam as mesmas virtudes, abominam os mesmos males.

Fecho aspas.

--
  

14 comentários:

  1. Esse texto é meio que velho. Olha o link do texto original aí

    https://maldadedestilada.wordpress.com/2014/02/06/tomou-a-pilula-vermelha-ja-era/

    O autor meio que reescreveu para um formato jornalístico, mas de qualquer forma realmente esse texto fala muitas verdades. Chega bateu uma depressão lendo ele aqui.

    Que vontade que me dá imprimir a imagem de cabeçalho do seu blog e alguma frases desse texto.

    Aí sim que minha chefa sapatona iria pegar no meu pé. hahahah

    Mas eu quero é mais que se foda!

    O mais engraçado é que eu inspiro as pessoas, mas eu continuo na rodinha sem sair do lugar. Hoje outro pediu demissão, pois montou 2 empresas, uma com o pai e outra com a mãe em coisas que dão dinheiro pra cacete e rápido. Já tenho até a previsão de outra pessoa que vai meter o pé para abrir o próprio salão de beleza.

    Enquanto isso, vou arrastando caixas e aturando as crianças do gabinete do Jeanus Willy (depois eu explico no post sobre meu trabalho de merda adendo 2).

    Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá meu caro Pobre Sonhador, realmente não conhecia o texto original, mas confesso que a primeira vez que li fiquei maravilhado com a riqueza de detalhes que vivemos na blogosfera de finanças. Mesmos aqueles que quase não tocam no assunto política, de alguma forma acabam escrevendo algo relativo ao cenário econômico que infelizmente é dirigido pelo “desgovernança” dos nossos Cunhas, digo políticos.

      Quanto a imagem do blog, eu vou mandar imprimir em uma reveladora profissional e fazer um quadro. De certa forma me faz lembrar que a correria modulada nos leva a lugar nenhum. É como dizia meu velho avô, quem trabalha de mais não tem tempo de ganhar dinheiro. De certa forma tem um sentido de verdade nessa falácia.

      Entendo o seu caso, cansei de fazer o mesmo ao longo de minha carreira e infelizmente também não conseguia sair do lugar. Era uma mistura de medo com procrastinação, que infelizmente não me deixavam pensar. Precisei de grande “choques” para sair da zona de conforto. Nesses últimos dois meses fui de euforia a introspecção. Deixei de lado um pouco o blog como todos consegue ver e estou me dedicando ao trabalho é claro e aos estudos. Palestras, revistas, políticas, filosofia, enfim... Momento de entender o que pode ser feito, como deve ser feito e por que eu quero que seja feito.

      As vezes vale a pena, se não entramos em modo automático, trabalhamos arduamente com pouco sentido existencial e simplesmente perecemos quanto ao fator que mais pode nos ajudar em finanças, o tempo.

      Forte abraço !!

      Excluir
    2. Caro RI, palavras bem escritas são ATEMPORAIS. "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" - João 8:32.

      Independente do credo, a verdade liberta das amarras das mentiras que nos cercam. Como no texto do Quintela, vivemos também a Matrix da Corrida dos ratos e quem dela saiu ou tenta sair, é tido como um ET. A mesma situação em relação à política.

      Obrigado por me citar, fiquei muito feliz, pois o texto do Flávio Quintela é excepcional e ele trabalha junto com o Benê Barbosa nos livros contra o desarmamento no Brasil. Mentes brilhantes se atraem. Abraço!

      Excluir
    3. Ouvi isso outro dia, "A verdade liberta", de fato liberta mesmo.

      Infelizmente tem um preço muito alto, mas se for para ser chamado de marciano e ter minha segurança e minha família, prefiro ser um homenzinho verde que come onde quer e viajar para onde deseja sem fazer dívida.

      Temos que ter muito foco em nossas caminhadas, a final a força dominante é contraria à vitória.


      Um forte abraço meu caro, sucesso !!

      Excluir
  2. Olá caro amigo Rato,

    Seu blog, apesar de novo, é um dos que eu mais simpatizo de ler, sempre tô por aqui.

    Infelizmente é esta a realidade: A maioria de nossos colegas vivem de sonhos, onde sonhos são as grandes prestações, as páginas e páginas de carnês, tudo isto para demonstrar ser pessoas bem sucedidas perante a sociedade.

    Sobre a parte da política, ultimamente não tenho comentado nada sobre. É um assunto que não agrega muito a mim (a minha pessoa exclusivamente), e ficar pensando no que o governo faz de ruim nos deixa nervosos, com raiva, com medo de mais impostos, e no fim das contas só nos prejudica, no meu caso só me prejudicava.

    O que eu faço? Não quero nem saber de política. Seja Dilma, seja Temer, seja PT, PSDB ou qualquer outro partido, o foco é gerar renda sobre a renda atual e estar pronto para aposentar quando eu quiser.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá meu caro VDC, obrigado pelo elogio. Tento sempre acompanhar seus relatos também apesar de não comentar em todos.

      Realmente temos um problema social gravíssimo no BrHuezil, a maioria do povão só sabe ter padrão de vida baseado no consumo errado e com capital de terceiros. Não é a toa que nossos bancos têm lucros recordes, mesmo comparando com o restante do mundo desenvolvido.

      Infelizmente não temos um consumo consciente, baseado na necessidade e não no apego ao status ou padrão de vida. Isso vai se tornar uma questão social se nossos filhos e nós mesmos não pensarmos nisso.


      Com relação a parte política, realmente tenho ficado de olho aberto aos movimentos e entendo sua opção de não querer se meter nessa sujeira toda. De certa forma você está certo, pelos seus motivos, trabalho, determinação e visão, você vai longe meu caro. Forte abraço !

      Excluir
  3. Esse texto aplica-se não somente a politica, mas em modo geral na vida. Os seres humanos já estão acostumados com a mentira de tal forma, que não suportam mais a verdade. Quem porta e vive com a verdade de fato, vive isolado. E tido como chato, soberbo e arrogante. Precisamos abrir nossos olhos, e refletir sobre a verdade, ou então viveremos sempre uma mentira.
    Abraço Rato, ótimo texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chaves, de fato é isso mesmo. Você conseguiu resumir o que acontece de quem saí da Sibéria do utilitarismo.
      Confesso que estou meio afastado do blog pq o tema finanças estava tomando mais o meu tempo de que meu trabalho, mais os meus assuntos do que as baboseiras gerais que as pessoas gostam de conversar.

      Não perdi o foco nas finanças, mas me permiti um descanso do tema após 1 ano de reestruturação.

      Em julho de 2015, tive um grande impacto na vida que tive que mudar o rumo da minha vida pessoal/financeira. Essa porrada de terceiros me fez um homem mais forte e menos pobre.
      Entende o motivo do refresco que estou dando a mim mesmo com relação a finanças ? Estou fazendo uma gestão mega passiva auferindo resultados uma vez a cada quinze dias. Se as cotas de Fii derretaram nem vi, se o tesouro explodiu e estou rico, nem sei. Vou ficar na renda ativa, pois ela que me ajuda nos aportes o resto é apenas piloto automático.

      Deixo aqui um alerta a todos que começaram agora que nem eu, o aprendizado é muito bacana, o entusiasmo é gigante no inicio, mas chega uma hora que vc começa a perder tempo ouvindo, vendo e lendo alguns assuntos, aí está a pior amardilha, perder o foco .

      Excluir
  4. Boa referência, já tinha lido e não somente isso, também "gravei" em uma pasta que chamo de "Textos Essenciais".

    “A ignorância é a condição necessária da felicidade dos homens.” (Anatole France)

    Por isso que nós, homens de convicção, que lutamos contra a matrix por vezes somos pegos em momentos de tristeza sem fim.

    P.s.: O Quintela tem um excelente livro em parceria com o Bené sobre Desarmamento, leiam.

    Falow,
    Pardal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PI,
      Tenho este livro autografado pelo Benê, hehehehe...
      Sou pró-armas, sou pró-cida! Acabei de vir do Chile e comprei um item de coleção: uma Baioneta Suíça do fuzil SIG - Sawer 1957. Top!

      Excluir
  5. Excelente dica do Quintela, vale muito a pena ler os livros dele.

    Só não da para lermos essas coisas, sexta a noite depois de um copo de whisk.
    Kkkk

    Flw Pardal, farei a leitura do recomendado e volto aqui para comentar.

    ResponderExcluir
  6. Nobre rato investidor.
    Encontrei seu blog por acaso nos blogroll do conhecimento financeiro, gostaria de lhe ADD ao meu blogroll.
    Sobre questão da matrix: Eis um artigo quase irrefutável, muitas vezes sinto que meu conhecimento sobre funcionamento do sistema financeiro e político vem se tornando cada vez mais um grande fardo a ser carregado, principalmente quando leio alguma pessoas equivocadamente ou mesmo intencionalmente escrevendo textos sobre coisa quais desconhecem profundamente.
    Em economia o que mais tenho observado sobre baboseiras socialista quais não fazem nenhum sentido do ponto de vista racional e lógico.
    Pior ainda é saber que tais baboseiras vem de ditos intelectuais da mídia KKk
    O que dizer dos economista do povão quais são totalmente mal intencionados ao formular opiniões.
    Em relação a Matrix: Não da para salvar aqueles que não desejam ser salvos; todo auto conhecimento deve partir do indivíduo, inclusive este é um dos pilares da sociedade ocidental qual marxismo tenta atacar ferozmente.
    boa sorte em seus investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mestre do Dividendos, está devidamente adicionado a lista de meus confrades !

      Nós que estamos tentando a todo custo quebrar tendências, temos que ficar de olhos bem abertos para esse mundo manipulador não nos engolir.

      De fato não da para salvar aqueles que não desejam, infelizmente deixei de estender a mão para todos aqueles que eu achava que eu tinha a obrigação de ajudar.


      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir