segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

“Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”


“Para muitos casais, o namoro é como um conto de fadas, uma eterna preparação para a lua-de-mel, mesmo que ainda não esteja nos planos. A convivência restrita a poucos dias da semana, o fato de ambos se encontrarem sempre em clima de passeio e diversão e a ausência de rotina criam a impressão de que estar nos braços da pessoa amada é o mundo dos sonhos.

Por essa razão, a decisão de casar-se acaba sendo um drama para muitas pessoas. Saem de cena momentos de lazer, convivência exclusivamente a dois, presentes românticos e orçamento para um fim de semana. Entram em cena rotina do lar, convivência com parentes (incluindo sogros), gastos com moradia e orçamento apertado para o mês. O drama começa quando o casal pensa em quanto vai custar a vida a dois e nas responsabilidades a ser assumidas. Como a quase totalidade das pessoas não tem a preocupação de se preparar para isso antes de falar em casamento, as mudanças são recebidas como uma ducha geladíssima.


Está desenhado o cenário da primeira crise de todos os casamentos: aquela que acontece antes do casamento. É quando "cai a ficha".”

                                   

Pouco se fala na blogosfera sobre relacionamento a 2 e finanças então resolvi quebrar esse tabu. 


Como o autor, também tive minhas primeiras lições de planejamento familiar quando já resolvi unir as escovas. Antes de pensar em relacionamento, não tinha planos de enriquecimento. 

Nunca fui esbanjador, mas gastava comigo mesmo sempre que havia vontade. Sempre poupei parte de meus rendimentos, sem nenhum plano e meta, meu objetivo era aperas poupar.

Lembro que quando resolvi sair do time dos solteiros, minha poupança não comprava nem um Gol usado, e como todo inicio de relacionamento, comecei sem pensar muito nas finanças e, apenas curtindo os primeiro momentos do relacionamento.


Pois bem, toda relação evolui, mesmo que seja para o término que também pode ser considerado uma evolução. Graças a Deus a minha não foi para esse lado!


Hoje após certo tempo juntos, estamos colocando em prática os planos de enriquecimento conjunto. Já estimamos quanto queremos juntar até o final de 2016 (+ 32K aportados) para formar um belo colchão de segurança e não ter que se preocupar com isso. Sem considerar os rendimentos.


Nosso plano está dando certo, com projeções e muita animação. Isso mensurando cada gasto e não deixando de aproveitar a vida, a final só vivemos uma vez e tem que ser com sabedoria e alegria.


Após dezembro desse ano, passaremos a investir com a finalidade de comprar (no longo prazo) a nossa casa. Serão +- 8 anos de muita luta e suor para comprar um belo imóvel onde poderemos chamar de nosso.


Um conselho que dou aos leitores do blog, não sejam adeptos da sociedade machista e que é incapaz de conversar sobre dinheiro em casa. O assunto é chato (para mim não), mas tem que ser conversado, mesmo que seja por muita insistência. A final, como diz o título do livro “Casais inteligente enriquecem juntos”.





P.s. Apesar de não comentar, dona Ratinha é frequentadora assídua do blog. 


12 comentários:

  1. Boas,

    Quando você encontra uma mulher que soma com você ao invés de dividir ela multiplica. Isso também vale para as mulheres que quando encontrar um homem que vale a pena passar a vida juntos deve sim planejar e se esforçar para crescer juntos.

    Casais inteligentes mostra uma abordagem simples mas que ninguém parou para pensar.

    Parabéns pela escolha do livro, que trás lições tanto para os solteiros quanto para os casados.

    Grave isso: Dinheiro não conhece sexo, cor ou religião... muito menos quer saber se você é casado ou não :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IM, realmente o dinheiro não atura desaforo. Precisamos estar preparados sempre ! Sempre falo em casa, e ambos temos experiencias idênticas, que nossos pais não falavam ou não falam de dinheiro em casa. Isso deveria nos tornar pobres, pelo menos de inteligência financeira. Por sorte e esforço, estudamos, escolhemos e optamos pelo melhor de nossos futuros.

      Excluir
  2. Isso ae ! Unir forças para somar é sempre uma força para cima.
    Vou abrir meu blog em breve e postarei algo semelhante.

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Marlon. Assim que começar o seu blog manda o endereço para favoritar .

      Rumo a IF !!

      Excluir
  3. E aí Rato! "O assunto é chato (para mim não), mas tem que ser conversado, mesmo que seja por muita insistência." Acredito que essa é uma situação bastante corriqueira em nossos lares...
    Eu converso com minha cara-metade seguido sobre finanças, planejamento, investimentos. Normalmente vira um monólogo, mas vamos em frente (kkkk).
    Agora joguei a responsa do planejamento trimestral, e controle de caixa para ela... vamos ver no que dá: homeopatia ou eutanásia!!!
    Obviamente que a reserva e os investimentos vão ficar comigo.
    Parabéns pelo post, bem interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Investir para viver, realmente em muito dos casos vira um monologo. kkkkkk Mas como sabemos e praticamos, tem que ser discutido amplamente. Por aqui estamos compartilhando as decisões estratégicas. Temos dois FLC separados, e fazemos as divisões dos "custos operacionais" da casa.
      A parte de investimento está centralizada comigo. Até pelo fato de estudar os produtos, acompanhar os mercados e dominar a ferramenta um pouco melhor que ela.
      Espero que por aí a experiência de delegar o planejamento seja bastante construtiva . Muita paciência nessas horas.



      Excluir
  4. Legal sua abordagem Rato

    É um bom livro esse que você mencionou e perfeito para iniciantes ou até para aqueles já com certo conhecimento. Caso você tenha a parceira certa com certeza irá gerar bons frutos. A união faz a força.

    Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado MC, por aqui a união e muita insistência vai fazer a diferença.
      Esse livro, junto com Pai Rico, Pai Pobre, deveria ser estudado nas escolas. Temos a disposição muito bons livros que poderia expandir o universo financeiro dos brasileiros e tirar nosso país da crise. Claro que um grande reviravolta na cultura das massas. Enquanto hoje isso parece utopia, vamos fazendo nossa parte. Quem sabe no futuro lembrarão de nossos blogs, como lembram das tabuinhas de argila do livro "O homem mais Rico da babilonia". kkkkk

      Excluir
  5. Você é um dos poucos da blogsfera financeira que ver a vida a dois, dependendo da parceira, como uma coisa boa, também penso como você. E como se diz, casamento é para somar não para diminuir.
    Sobre o livro, achei um dos melhores livros de finanças, acho até que é o melhor livro dele.

    ResponderExcluir
  6. Anon, como sabemos a vida a dois sempre é mais complicada no sentido de gestão. Principalmente quando um tem uma ideia e outro quer algo totalmente diferente. Conheço pessoas que largaram a companheira somente pelo fato da pessoa não pensar em futuro.
    Se relação é boa, por que não faze-la construtiva ? Isso que penso. Se é para ficarmos juntos, vamos fazer isso dar certo. Não quero terminar duro, velho, careca e desempregado. Para isso é necessário muito esforço e sacrificar muita das alegrias momentâneas que a maioria dos casais fazem.
    Minha opnião sobre pq não se fala muito de relacionamento na blogosfera: Acredito que seja um pouco de egoísmo e oportunidade de um relacionamento bacana que não ainda não chegou a muitos. Realmente é mais simples tocar a vida só, num apertamento, tendo uma vida frugal e jogando videogame nos finais de semana. Só que ao mesmo tempo que é fácil e simples não é saudável.
    Com relação ao livro, sem o que comentar. Excelente.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Sou casado e não vejo nada atrapalhando nos investimentos. Ter alguém de confiança ao seu lado é o maior investimento que podemos ter. Daria todo meu patrimônio em troca de ter minha esposa sempre ao meu lado.

    ResponderExcluir
  8. Vcs estão super corretos. Parabéns! Quando casei-me não tive essa visão pois achava que poupar iria demorar muito (nunca cogitara outros investimentos). Minha esposa sequer havia guardado dinheiro para nada.Fizemos divida para construir e a casa (bem pequena por sinal) ainda não ficou acabada. Somente há 4 anos resolvemos investir pra comprar um novo imóvel. Com a atitude correta vcs vão mais longe juntos!

    ResponderExcluir