sexta-feira, 6 de novembro de 2015

1º ATUALIZAÇÃO PATRIMONIAL

Atualização Patrimonial

Estou fazendo um trabalho de recuperação financeira fortíssimo após zerar (falir) e me vê totalmente envolvido na corrida dos ratos.
Não tenho uma renda considerável comparado aos amigos da blogosfera, mais aplico a maior parte das fórmulas que muitos fazem e acredito que no final terei sucesso. Uma boa dose de persistência e determinação irá fazer a semente IF brotar, eu tenho certeza.
Desde 2012,  ano que saí de casa,  passei a economizar cada Dilma que entrava em minha conta. Solteiro até 2014 imaginem vocês a dificuldade de fazer isso e com um emprego em início de carreira. Errei muito no quesito investir.
Como muitos brasileiros que também querem investir errei,  a falta de rumo e a crença que nós só podemos comprar algo parcelado (já que nunca conseguiremos economizar), acabei por fazer péssimas escolhas. Não sabia aplicar nenhum tipo de regra a minha vida a não ser, pague tudo, use boa parte da grana e o que sobrar (se sobrar) guarde na poupança (para gastar tudo quando o da carteira acabar).
Por longos 2 anos, fiz de minha poupança parte do meu caixa e para piorar já tinha o péssimo habito de utilizar meu cartão de crédito como capital de giro. Perfeito!  Para o banco.
Enquanto as entradas eram gordas, com trabalhos exaustivos e longas horas extras, eu conseguia manter um padrão desvairado de vida sem segurar um tostão se quer. Até que... A torneira fechou. Fui obrigado a viver como a maioria dos brasileiros da “nova classe média”, apenas com o salário do mês.
Depois de ter gasto tudo e mais um pouco, resolvi me informar e me educar financeiramente. Por está me graduando em administração de empresas, tenho domínio das ferramentas e consigo entender com mais facilidades grande parte dos nº. O que leva a uma controvérsia, o administrador deveria saber administrar. Sim ele sabe, o problema consigo mesmo é a emoção.
Resumindo a história, farei uma abordagem a partir de Agosto, mês que voltei a aportar e a construir o meu colchão de segurança.
Hoje utilizo a regra 50-20-30, que posteriormente falarei.
Meu colchão de segurança será composto de 6 a 12 meses de despesas pagas. Reparem que coloquei de 6 a 12, pois como vivemos em um momento de incertezas mercadológicas, prefiro deixar o porquinho bem gordo para evitar qualquer imprevisto.
Como sou a assalariado e ainda estou procurando uma segunda renda para conquistar minha futura IF, farei aportes pequenos de vez enquanto. Acredito que todo aporte é válido seja 1 real ao infinito, o importante é aportar.

Bom segue minha evolução Patrimonial e a alocação:












Fiz um aporte legal em Agosto, mas em 20/10 vendi minhas LTF e aproveitei a oportunidade de uma LTN pagando bem. Como pretendo levar o título até o vencimento, o mesmo trará um bom retorno.  Este mês fiz novos aportes em LTF. Estou conseguindo manter uma meta superior a 30% dos meus rendimentos líquidos.
Espero fechar 2015 (que comecei com menos 13k) com pelo menos 10k no colchão de segurança. Quando atingir a meta de 26k eu paro de aportar para essa finalidade e novos planos já estão feitos.
Budget 2016 está desenhado e considerado a volta aos estudos e mais aportes mensais.

Está ae, espero que compartilhem suas estratégias e pensamentos, com o tempo vou dominar melhor a ferramenta e postar algo mais elaborado.


4 comentários:

  1. Também gosto do tesouro direto amigo, minha estrategia agora é acumular em lft apenas.
    Junto com lci e poupança. Com mais capital, outras opções.

    ResponderExcluir
  2. Lembre-se que num cenário de inflação alta, o tesouro direto perde rentabilidade devido a tributação sobre a correção monetária.

    ResponderExcluir
  3. AAFG, nesse cenário de inflação seria bom apostar nos títulos IPCA. Contudo, tenho a expectativa que esse caos não dure tanto tempo (+ 5 anos ). Caso venha durar, estou ferrado, terei perdido rentabilidade.

    ResponderExcluir
  4. Fala Ratoeira conheci o blog hoje vou acompanhar. Tambem gosto do TD, 100℅ do meu capital está alocado no tesouro direto em títulos diferente, IPCA, LFT ,LTN.. Seria uma boa você conhecer mais sobre o Sofisa Direto eles tem CDB que paga 100℅ da SELIC, sem dedução de taxas, como ocorre no TD. Abraço

    ResponderExcluir