segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Dinamismo x Bagunça

                                 
         Já parou para pensar que dinamismo é algo totalmente diferente de bagunça? Pode parecer algo bobo a se escrever, mas muita gente não tem a mais breve noção de que os dois mundos são totalmente opostos.



Ao longo da minha vida profissional encontrei muitas barreiras para não dizer dor de cabeça, com relação à bagunça sistematizada. Não vou cometer o equívoco em dizer que fiz e faço tudo sempre certo, mas um pouco de organização, métodos e gestão de processos não matará ninguém. Começo a me perguntar se não seria o caso, de hoje, estando cada dia mais velho, experiente, começar a aceitar as coisas da forma que elas são.  Sinceramente ainda tenho muita dificuldade de aceitar bagunça como estilo de vida/trabalho. Não saberia dizer, mas é algo que me deixa bufando de raiva e sinceramente não sei mais por que eu me importo , a final muita das situações não tenho o menor controle.

         Nessa nova fase de minha vida, vejo que não mudou muito do que vivi ao longo desses anos. Pessoas com medo de perder o emprego, se agarrando a métodos fracassados, lutando para sobreviver, perpetuando a bagunça a fim de ser útil às empresas. Mas o que importa, cada um estraga a vida do jeito que quiser. O problema aqui é o pseudo dinamismo.

         Ele não existe é uma farsa. Para a maioria, o camarada que coloca uma resma de baixo do braço e fica correndo pela empresa é o funcionário dinâmico. Não, não é ! Ele às vezes só é um relaxado, preguiçoso que gosta de aparecer tirando onda de ocupado, quando você vai ver ele fica mais tempo na copa da empresa do que a própria moça do café. Tem os camaradas que ficam tuitando com a boca o dia inteiro que está fazendo, porém quando você vai ver a produtividade do cidadão chega ser pior que do uma ameba resfriada.


Chefe: Fulano, você só tem que colocar as caixas na esteira, ok ?
Fulano: Deixa comigo !


         As pessoas tem medo de organização, elas anseiam organização e melhoria no trabalho, mas ao mesmo tempo rezam para que a bagunça continue, a final muito estão ali só para apertar um botão, se acham necessários, pois sem eles a coisa como um todo não funcionaria, ledo engano... Analise você, ao seu redor, seu colega de trabalho, alguns poucos metros do seu campo de visão. Você verá que alguns só estão ali por que existe uma ditadura da bagunça, existe desorganização, pois se houvesse um método acertado, um trabalho mais coeso, não seria necessário aquela mão de obra, fornecedor, etc, etc.. Sem falar dos aspones...    

        
         Chega ser doído saber que trabalhador médio brasileiro não chega a render um quarto do que produz um trabalho médio americano.  Isso é muito ruim para aqueles que estão querendo mais, pois você encontra meia dúzia de topeiras que te atrapalham e muitas das vezes se acham vítimas da sociedade.

Pessoalmente eu acredito que isso venha de alguns fatores bem simples de explicar:

·        A maioria de nós é menos educada, menos qualificada, isso impacta diretamente no capital humano. Não adianta ter a porra de um diploma de ensino superior se você levou a faculdade nas coxas e abre a boca para falar "praca";
·        Muitos dos “trabalhadores dinâmicos” gostam é de bagunça mesmo;
·        A maioria se tiver escolha entre optar fazer um trabalho tosco ganhando um trocado mais ou menos, o fará. A final para que engenheiros né, melhor ser atendente de armarinho;
·        Trabalho de baixo valor agregado.  Muito de nós somos apenas chimpanzés amestrados;
·        Preguiça;
·        Medo de perder o emprego...


Agora eu escrevo novamente em tom de pergunta. Deveria eu aceitar e dançar conforme a música, ou simplesmente jogar tudo para o algo e procurar algo que se encaixe nas minhas perspectivas?  Vou ignorar a maioria, pois como sabemos a manada sempre será a manada.

Enquanto tivermos trabalhadores medíocres com raciocínio medíocre, teremos um país medíocre com salários medíocres....

         Sinceramente, acho melhor continuar do mesmo jeito que estou, pelo menos estou ganhando mais sendo esforçado do que sendo incompetente dinâmico.

         Fui, vou trabalhar para ganhar mais dinheiro por que a obra da Nossa Senhora dos Aportes tem que ser continuada. Forte abraço a todos.