quinta-feira, 30 de junho de 2016

ATUALIZAÇÃO PATRIMONIAL JUN/16 (+ 206,76% ou + 27.082,41)

INTRODRUÇÃO

Primeiro mês fora da masmorra e estou com o gás total na busca da minha IF. Nesse primeiro momento, tenho o orgulho de anunciar que concluí a primeira etapa que defini do plano da IF. Para quem me acompanha, sabe que eu estava em busca de formar o colchão de segurança (R$ 24 a 30K) que tanto me incomodava por ainda não ter. Não existe maior risco do que está empregado em um único emprego, sem nenhuma alternativa, vivendo apenas do salário que ainda estar por vir e vender tempo. O meu colchão de segurança ficará estacionado em torno de R$ 40K. A partir desse valor, tentarei fazer aportes em produtos diferentes visando o longo prazo (flertando com os FII's).
Nesse primeiro momento "pós conquista", farei uma revisão de metas 2016, revisão de como a carteira deverá ficará após o meu desligamento (rentabilidade, segurança e liquidez), exposição a renda variável (hoje nula) e outras situações como fluxo de caixa.
Vale ressaltar que ao longo dos meses as necessidades foram mudando, novos aprendizados foram surgindo e o gosto por acumular, conhecer, explorar está cada dia mais aguçado. Acredito que uma das melhores coisas que fiz foi dar baixa do “quartel” onde trabalhava. Sinto-me outra pessoa e farei de tudo para prosperar enquanto à maioria só fala de crise, não faz nada para mudar e por consequência leva a crise para dentro de casa.  A palavra do mês foi MOTIVAÇÃO.
Sem mais delongas, apresento a todos a carteira de investimentos, posição 30/06/2016 - 18:01.

CARTEIRA ATUALIZADA

        Estou tentando ao máximo, equalizar a carteira, aproveitar as taxas que ainda existem na RF ("Taxa não ganha de tempo!"), não expor meu dinheiro à inflação e a produtos mirabolantes. Muito embora os produtos sejam de vencimento no LP, a grande maioria, são de liquidez imediata, o que me dá certa segurança no caso de alguma demanda inesperada. O que tentei fazer nesse mês, foi reduzir minha dependência do pré-fixado que antes puxava sozinho a rentabilidade da carteira. Feito isso acredito que não terei mais surpresas desagradáveis como a do mês de maio.

DIVISÃO DOS ATIVOS


Por ainda se tratar da primeira etapa do plano de IF, meus ativos estão na renda fixa e não mudarei isso. Classifiquei os produtos de acordo com o tripé dos investimentos e minha carteira de produtos está escalonada (%) da seguinte maneira: 

Obs.: Como escrito, em sua maioria, os ativos são de liquidez imediata. Contudo, classifiquei alguns especificamente como Tesouro Selic, CDB, Poupança, nessa categoria. 

META 2016

Resultado excelente, superando as expetativas iniciais de 2016 . A subida forte se deve a rescisão e o saque do famoso "figuetis" (FGTS).

BALANÇO PATRIMONIAL REDUZIDO



         Tenho trabalhado muito para aumentar o meu ativo, diminuir o meu passivo e por consequência ver o aumento do meu Patrimônio líquido. Como já quitei a maioria dos débitos do ano e não existem obrigações no longo prazo (financiamento, carro), meu passivo chega a esse valor ridículo que esta aí. Essa queda de mais de R$ 1 mil, foi em decorrência do pagamento do cartão de crédito antecipadamente. Solicitei a operadora o cancelamento, logo o valor não subirá novamente. Não vou mais fazer compra à crédito (por enquanto) e não quero mais pagar tarifas absurdas (Itaú deu mole dessa vez). 
         Mesmo "desempregado" (abri uma pequena empresa), estou conseguindo viver da receita do mês anterior, pois pago tudo em dinheiro e o que vem de entradas eu apenas destino às aplicações e refaço posição do fluxo de caixa. Quer um conselho ? Frugal, frugal, frugal. Não confunda com muquirana, apenas tenho objetivos claros em minha mente.
      
CONCLUSÃO

1.    Rentabilidade da carteira como um todo bem positiva nesse mês de junho, consegui ficar acima de poupança, inflação e os juros reais foram significativos ;
2.    Rentabilidade da carteira no ano está positiva, com um ou outro produto andando em marcha lenta, mas posteriormente o Sr. Mercado corrige;
3.    Divisão dos produtos está sendo o meu maior foco, equalizarei bem a carteira e definirei novas metas para 2016 ainda em julho;
4.    De uma maneira  geral, está dando certo, preciso focar em uma renda ativa/contínua (ou duas) e uma renda passiva para o longo prazo. A micro empresa está me dando muita alegria, principalmente por que o cliente é excelente,vou continuar nessa tocada enquanto eu puder.


Um forte abraço a todos, aguardo a atualização de vocês e desejo para todos muita prosperidade.


        
 Música que estava escutando ao terminar o post.


quarta-feira, 22 de junho de 2016

DNA DA MENTE RICA x DNA DA MENTE POBRE


A muito tempo estou para escrever algo relativo a este tema, pois acredito ser de grande valor em todos os aspectos de nossas vidas. Escrevo pois é algo que tive que lidar ativamente em meu último emprego, onde 90% das pessoas eram de classes menos favorecidas.
Para driblar as crenças do meio dominante que eram mais fortes, fui obrigado a me fechar para muita das coisas que observava, convivia e principalmente seguir meus critério a risca.


Thomas Stanley e William Danko, escritores do famoso livro “O Milionário Mora Ao Lado” dentre outros livros de grande sucesso vão me auxiliar com uma de suas teses científicas, em que eles demonstram os hábitos das pessoas que saem do zero para construir fortuna. Eles são os criadores do “DNA da mente rica e o DNA da mente pobre”.



Existem pessoas que pensam como pobre, se sente como pobre, agem como pobre e só anda com pobre. Qual será o resultado mais provável dessa pessoa ao longo de sua jornada ? Reparem que não é nenhum tipo de dica milagrosa e que muito menos os autores visam escarniar ou criar um seleto grupo de pessoas ricas que só se misturam com pessoas ricas. É apenas uma questão séria de puro contágio social, quer outro exemplo ? Você anda com pessoa doente, pensa como pessoa doente, age como pessoa doente e você se sente doente. O que você acha que vai ter na vida ? Saúde ? ENTENDEU !?


A diferença é que as pessoas que nascem pobres e saem desse círculo vicioso, eles embora convivam com dificuldade financeira, eles PENSAM como pessoas prósperas. Não se deixam influenciar pela influência do meio que é forte. Buscam informações que por ventura o meio não traz e vão atrás de quebrar essa tendência, esse ciclo vicioso.


O raciocínio é muito interessante, pois eles mencionam, que as vezes o sujeito pode até momentaneamente ter dificuldades financeiras, mas se ele tem o DNA da mente rica, há uma tendência no médio e longo prazo que ele tenha sucesso financeiro.


Cuidado com o CONTÁGIO SOCIAL, ele pode levantar seu animo e sua vida pessoal/profissional (espírito de equipe, igreja, estádio de esportes...), ou pode arruinar seus planos com o “pensamento das massas”. Não espere da grande maioria ao seu redor, como por exemplo no meu antigo trabalho, uma cultura pró investimento, pró educação e pró riqueza. A maioria já está moldada pelas suas crenças mais primitivas, que se afirmaram e solidificaram com o passar do tempo, onde ser próspero é sinônimo de mal caráter e etc. Um povo que não procura mudar e só sabe procrastinar colocando a culpa no governo, na crise,  na família, no cachorro, na esposa ...


Para ilustrar as diferenças, achei um outro dia vagando em um fórum, um compilado de contrastes, entre a Mente Rica e a Mente Pobre. Algumas ideias vêm de Os Segredos da Mente Milionária, outras do Pai Rico, Pai Pobre, e outras são divagações do autor do post.


  1. O rico acredita que pode moldar o seu destino. O pobre acredita que o destino acontece.
  2. O rico assume o compromisso de ser rico. O pobre gostaria de ser rico.
  3. O rico entra no jogo do dinheiro pra ganhar. O pobre entra no jogo do dinheiro pra não perder.
  4. O rico usa juros a seu favor. O pobre usa juros contra ele mesmo, porque quer tudo pra agora.
  5. O rico admira pessoas ricas e as toma como exemplos. O pobre detesta pessoas ricas e as toma como exemplos de mau caráter.
  6. O rico se aproxima de indivíduos bem-sucedidos. O pobre prefere amigos que, como ele, passam dificuldades financeiras e são fracassados.
  7. O rico diz "como posso ter isso"? O pobre diz "não posso ter isso".
  8. O rico estuda investimentos e faz planos. O pobre diz que "não tem tempo para estas coisas".
  9. O rico é um ótimo recebedor. O pobre é um péssimo recebedor.
  10. O rico paga a si mesmo primeiro. O pobre paga aos outros primeiro.
  11. O rico prefere ser remunerado pelos resultados. O pobre prefere ser remunerado pelo tempo dispendido.
  12. O rico foca no patrimônio líquido. O pobre foca no rendimento mensal.
  13. O rico, quando sofre uma adversidade, se pergunta "como posso tirar proveito disso?". O pobre, na adversidade, se lamenta.
  14. O rico identifica os ricos pela sua educação financeira. O pobre identifica alguém como "rico" pelos bens materiais que exibe.
  15. O rico busca a prosperidade financeira. O pobre confunde essa busca do rico com falta de espiritualidade.
  16. O rico foca na solução. O pobre foca no problema.
  17. O rico, numa compra parcelada, calcula os juros embutidos e faz contas para decidir se a compra vale a pena. O pobre só observa o tamanho da parcela.
  18. O rico põe seu dinheiro para trabalhar duro para ele. O pobre trabalha duro pelo seu dinheiro.
  19. O rico administra bem o seu dinheiro. O pobre deixa a vida o levar.
  20. O rico tem uma visão realista dos investimentos. O pobre quando investe pensa apenas no curtíssimo prazo e espera lucros absurdos.
  21. O rico não despreza um rendimento passivo, mesmo que pequeno. O pobre diz "o que adianta botar o dinheiro na poupança se rende tão pouco?"
  22. O rico age apesar do medo. O pobre fica paralisado pelo medo.
  23. O rico foca em oportunidades. O pobre foca em benefícios.
  24. O rico pensa grande. O pobre pensa pequeno.
  25. Se o rico ganha um valor, em algum tempo o patrimônio terá aumentado. Se o pobre ganha um valor, em algum tempo o patrimônio terá desaparecido completamente.
  26. Se você tirar todo o dinheiro de um rico, depois de algum tempo ele estará recuperado. Se você tirar todo o dinheiro de um pobre, ele dependerá de outras pessoas para sobreviver.
  27. O rico diz "tenho que ser rico por causa de vocês, meus filhos". O pobre diz "não sou rico porque tenho filhos".
  28. O rico tem um plano de independência para o futuro. O pobre acha que trabalhar até morrer e depender do governo e dos filhos é um plano razoável.
  29. O rico diz "posso ter as duas coisas". O pobre diz "posso ter isso ou aquilo".
  30. O rico procura se aprimorar sempre. O pobre acredita que já sabe tudo.
  31. O rico diz "que lição posso aprender com este erro?". O pobre diz "desde o começo eu já sabia que não daria certo".
  32. O rico encara um fracasso como um aprendizado. O pobre encara um fracasso como um alerta para nunca mais se arriscar.
  33. O rico fica cada vez mais rico. O pobre fica cada vez mais pobre.


E se você chegou aqui, parabéns. Cabe a você e a mim, o direito de escolha com relação ao que queremos.


Muito sucesso para todos e até o fechamento do mês de junho.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

A BUFUNFA, A GRANA, O CAPIM, O ARAME, A GAITA, O NAIPE, A NOTA, O TUTU, O PACOTE, O BRONZE, A PECÚNIA, O DINDIN, A BOLADA, A GORDURA, O MACARRÃO, A VELHA DO DIA...

Post rápido só para marcar presença...

Como estou totalmente focado no projeto a qual estou participando após ser demitido da antiga masmorra empresa, não estou tendo tempo para escrever e nem participar das demais discussões dos blogs de nossos confrades. Vale dizer que essa lista de blogs que está ali no canto direito, não é apenas para fazer propaganda, visito todos os meus “favoritados” e os ainda não também. Chego a ficar ansioso às vezes esperando novas postagens de nossos estimados colegas. Realmente foi como nosso confrade VIVER DE CONSTRUÇÃO falou, aqui é nosso barzinho. Falo isso em casa todo sábado, ”vou para o bar com meus amigos” kkkkk.

Adianto que esse mês terá bastantes novidades a serem divulgadas aqui nesse espaço, como por exemplo, deixei de ser empregado e virei patrão (não é um funk). Para aqueles que pensam que é alguma loucura e estarei investindo todo meu suor em uma empreitada desesperada, fique calmo.  Trata-se de uma estratégia que elaborei para maximizar os rendimentos recebidos com o projeto que venho falando desde o último post. Tenho a impressão que fecharei outro projeto após finalizado o atual. Se todas minhas expectativas positivas se realizarem, estarei muito bem ao final do ano e muito feliz com o avanço de minha vida financeira. Uma observação, como é complicado abrir uma empresa legalizada no Brasil. Chega a dar desespero/raiva. Felizmente hoje vou à Prefeitura do RJ finalizar os últimos processos. Vale dizer que estou fazendo tudo só, não contratei despachante para uma coisa que se pesquisar e procurar com conhecidos da área eu possa fazer.

Mas enfim, o motivo principal para este, é que hoje peguei a bufunfa, a grana, o capim, o arame, a gaita, o naipe, a nota, o tutu, o pacote, o bronze, a pecúnia, o dindin, a bolada, a gordura, o macarrão, a velha do dia, chega vocês já entenderam essa porra.... kkkk

"ENTÃO QUER DIZER QUE VOCÊ TÁ FELIZ PARA CARALEO NÃO É RI ?"

Não...

Já estou mirando a revisão da meta de 2016 e infelizmente erraram minha rescisão =/. Como eu já estava acostumado com as centenas de erros da empresa, já tinha me preparado mentalmente para esse tipo de situação.

Como eu achei que ia ser minha rescisão:



Acabou sendo assim:



"TOMA ESSA PORRA !" kkkkk


Paciência, os projetos de longo prazo são mais importante do que os problemas pontuais. De qualquer forma terei uma “alavancagem” forte nesse mês, então aguardem os resultados (PASSA MÊS, PASSA). Se tudo correr certo faturo Nf para à empresa que estou fazendo projeto esse mês, aí Junho fica lindo.

Forte abraço povo e como sempre, SUCESSO !



terça-feira, 7 de junho de 2016

SEU PROBLEMA FINANCEIRO NÃO TEM NADA HAVER COM DINHEIRO

Para nós vagantes da blogosfera de finanças, esse tema não é de certa forma nenhuma novidade. Sabemos e aplicamos o poder do conhecimento x ter dinheiro.

        Todo mundo está careca de saber que fui criado em um lar “saudável” aos bons costumes da família padrão brasileira e mesmo meus pais se esforçando muito, estudando muito, tendo 2 empregos e apertando os cintos sempre em tudo que pode, não tiveram sucesso financeiro quanto desejavam. Certa vez ouvi um tio por parte de pai dizer, “seu pai era pra ser rico, mas infelizmente é uma Ferrari desgovernada”... De certa forma isso ficou na minha cabeça e parei para analisar friamente toda trajetória dos meus velhos. Essa analise culminou nas crenças em relação ao dinheiro que sigo hoje.

       BREVE RELATO:

Abordarei mais meu velho “o estudado” e não minha mãe "a nordestina que não teve tanta oportunidade", mas que modéstia parte fazia dinheiro como um banqueiro alemão. Sejamos sinceros, quantas pessoas nós conhecemos que são ditas estudadas e passam por milhares de problemas financeiros, vidas desreguladas, relacionamentos fracassados e empréstimos mais empréstimos bancários? Talvez com todos esses atributos não devam existir muitos não é ? Ledo engano. Digo a vocês que existem e existem muitas, a começar pelo meu velho. Desde pequeno observo as manias do coroa, comprar livros e mais livros (aos quais nunca tirou do pacote, apenas colocou na estante), assinar jornais e mais jornais (e não ler nem a capa), fazer cursos e mais cursos e faculdades e mais faculdades (e não exercer nenhuma das atividades correlatas).
É interessante que mesmo como essa megalomania estudantil, se abordar de forma negativa essas situações com ele, o mesmo se sente muito ofendido e já parte para “agressão”.
É gozado ver que de certa forma essa obsessão em ser um “pseudo culto” o tornou um cara “inútil” aos olhos das empresas. E tão pouco o conhecimento que ele tanto buscou está sendo transmitido ou utilizado. Simplesmente pereceu. Vale notar que não sou contra ao acumulo de cultura, ao contrario, estou sempre buscando elevar meu conhecimento e quebrar novas barreiras. Mas dificilmente eu faria uma terceira faculdade pelo fato do vizinho ter comentando ou ter entrado em uma (porra, tu mal fala com o cara…).
E a parte financeira? Simplesmente deixou a vida toda de lado…. Sufoco para pagar a casa, sufoco para viver ao fim do mês, e nem se quer um colchão de segurança e muito menos uma renda passiva. Vale informar que o velho é funcionário público desde a década de 80…. Lembro-me de uma época que todo dia ele colocava no viva voz do telefone a consulta do saldo negativo de sua conta. Era época que os brasileiros mais fizeram dinheiro...

ESTUDO DO CASO:

Utilizando o case acima, vale dizer que se não a maioria, 90% da população brasileira de certa forma se parece com meu pai. Mas todo lado ruim tem um lado bom, existe outras pessoas que com menos instrução, com mais otimismo e aplicando as doses certas à suas vidas financeiras, conseguem prosperar e atingir a IF e ultrapassam e muito aquelas que são mais preparadas e educadas. Mas por que isso acontece??

Esses resultados tão discrepantes se devem ao fato das pessoas desconhecerem os aspectos mais profundos a cerca de dinheiro, riqueza. Desde pequenos nós somos instruídos que precisamos ser o melhor profissional, o mais instruído se possível passar em um concurso público, e estudar tudo sobre o assunto e aí sim, garanti o sucesso. Infelizmente essa velha máxima não funciona mais. Não é mais a nossa verdade atual.

Apesar de controverso, isso é bem simples, os problemas financeiros não decorrem de falta informação no seu trabalho. Ou da quantidade de diploma que você tem na parede. Decorre dos seus problemas de programação mental a cerca do dinheiro, das suas crenças sobre dinheiro, sobre finanças, sobre prosperidade, SOBRE VOCÊ MESMO. Essa é principal questão.

Crença é o estado psicológico em que um indivíduo detém uma proposição ou premissa para a verdade, ou ainda, uma opinião formada ou convicção”

De certa forma ter um blog sobre minha vida financeira que acaba por transmitir ao leitor como é meu comportamento, me traz muita alegria e satisfação. Estar em um grupo onde as pessoas focam a prosperidade e independência financeira, me enche de motivação que antes estava faltando na minha programação mental ou crença para à prosperidade financeira. Se você quer emagrecer, certamente você não procurará uma turma de cozinheiros de guloseimas e sim uma turma ou pessoas que foquem no objetivo de ter uma vida saudável (CONTÁGIO SOCIAL).

SE SUAS CRENÇAS NÃO FOREM POSITIVAS EM RELAÇÃO A DINHEIRO, EM RELAÇÃO A VOCÊ, EM RELAÇÃO AO QUE VOCÊ É CAPAZ, POUCO VAI AJUDAR A SUA PÓS-GRADUAÇÃO, OU SEU MBA, OU SUA CENTENA DE LIVROS ARMAZENADOS NO QUARTINHO DOS FUNDOS.

As crenças são autorrealizáveis, são soberanas, AS CRENÇAS MANDAM NA LÓGICA E NA RAZÃO. Você não faz o que você quer, você faz o que sua programação mental manda você fazer. De certa forma fica o alerta para os negativistas ou pessimistas. Nunca comecem algo visando o erro/fracasso. Visualizem que já conseguiram, agarrando o objetivo e toda vez que sentirem medo, voltem nesse post e leiam que não é e nunca foi fácil, mas se você acredita tudo é possível.

Nenhuma questão financeira tem de fato haver com dinheiro, é apenas uma manifestação de sua relação primeiramente consigo mesmo, de identidade e crenças a cerca da vida. Riqueza não é aparência, infelizmente isso é muito difundido no Brasil, chega ser triste... Olhem os Judeus, a relação deles com o dinheiro e a prosperidade é quase dogmática, não se discuti é isso e ponto. 

PERGUNTE A SI MESMO:


  • Eu sou próspero ou não sou próspero?
  • Eu sou bem sucedido ou sou mal sucedido?
  • Eu sou uma pessoa valorosa ou não sou uma pessoa valorosa?
  • Eu sou otimista ou sou pessimista?

REPROGRAMAÇÃO MENTAL, não é apenas da boca pra fora, tem que forma identidade, acreditar de fato que você pode e que mudar é questão de escolha.



Enquanto a maioria dos brasileiros agirem como vítimas, seja da sociedade ou de um governo obeso mórbido, simplesmente teremos gerações e gerações de pessoas preocupadas com a crise e pobres, extremamente pobres. Serão modulados ao assistir TV, com o William Bonner falando do caso da menina esfaqueada por 40 na cidade de Sto Agostinho do cai nove…. Sto Agostinho que me perdoe pela manchete tosca...



MUDAR É QUESTÃO DE ESCOLHA.


Forte abraço a todos e muito sucesso.



Parte do texto foi elaborado em alusão ao Coach do Sr. Paulo Vieira, Presidente da Frebracis. Obrigado Paulo.