terça-feira, 31 de maio de 2016

ATUALIZAÇÃO PATRIMONIAL MAI/16 (+ 13,7528 % ou + 1.583,62)

“INTRODUÇÃO”

E lá se foi mais um mês, para mim talvez o mais importante do ano, pois como escrevi a pouco tempo estou encerrando mais uma etapa do meu ciclo profissional e estarei focado a priori em outros projetos, como por exemplo finalizar de uma vez o curso superior e ter o título de “dotor”. Sei que se discuti muito aqui na blogosfera sobre faculdade e uniesquinas, mas para falar a verdade já estou de saco cheio de levar porta na cara por conta de um pedaço de papel. Focarei em terminar logo o curso e tenho o orgulho de dizer, agora estou na reta final (até que enfim).

        Quanto a trabalho, como dito antes, acabou. Fim das amarras psicológicas. Impressionante como meu rendimento foi reduzido a nada. Estou tão estafado e sem tesão no que faço, que nem mais dinheiro me agradaria novamente. Tudo me deixa puto e com raiva alheia. Que fase que estou vivendo. E eu que achei que era resiliente (may be not)... Por sorte consegui pegar um projeto de curto prazo e não alterarei minha rotina até agosto, época que farei força total para terminar a porra do curso superior. Não me abaterei, apenas procurarei novas alternativas. Sei que com plano e muita persistência encontrarei novo caminho e logo estarei postando neste espaço mais uma conquista na minha vida. 

                        Meu companheiro de últimos dias de cela.

Nota: Impressionante como só tem um cara animado com as recentes mudanças no meu emprego. Ou ele é tapado, ou é um visionário do tipo Ford, J.P. Morgan, ou prometeram algo muito bom para ele. O tempo dirá....

Nota²: Impressionante o carinho dos clientes ao saberem que estou abandonando o barco. Fruto de um trabalho bem feito e lições de empatia bem aplicadas. Apesar de sair P da vida com a empresa, saio com a sensação de missão cumprida.

“CARTEIRA ATUALIZADA”



Ainda estacionado na RF e não preocupado com toda volatilidade do mercado. Posso não está ganhando milhões na RV, mas também não estou perdendo. Começo a ver que meu perfil ainda é conservador mesmo estando estudando muito sobre renda variável. Ando devorando fóruns de debate, livros, vídeos do youtube, dentre outros materiais disponíveis e de graça. Para falar a verdade montei até uma carteira teórica que estou acompanhando o desempenho e as minhas próprias reações. Tenho percebido que a visão de “realizar lucro” me prejudica nesse segmento de investimento. Por enquanto segue o mesmo jogo.
TD decepcionou nos rendimentos mas estou vivo. Uma coisa eu tenho em mente hoje, é que não levarei todos os títulos até o final, mas também não realizarei no curto prazo.
 

Boa parte de minha carteira é composta de LTN 2021 que comprei a +-16% A.A. de rendimentos. Aos poucos quero reduzir a dependência desse produto e equalizar bem os ativos entre: Rentabilidade, segurança e liquidez. 

“BP REDUZIDO”



Passivo estacionado na casa dos 2K e PL aumentando aos poucos. Realmente a fórmula está funcionando. \o/

“CONCLUSÃO”
A minha conclusão este mês é que por conta de meu desligamento da empresa terei que refazer as metas de 2016. Basta observar o gráfico e a linha “realizada”:
Não revisarei no momento, mas sei que terei uma subida forte em 1 ou 3 meses. Posteriormente acredito que ficarei aportando valores baixos. Tudo depende de alguns fatores ainda não concretos então não me anteciparei tanto.

Como sempre digo, não importa se é 1 real ou 1 mil, o importante é guardar. Esse raciocínio me tirou da Sibéria do utilitarismo e me fez enxergar uma realidade que poucos conseguem entender. Guardar dinheiro não é um castigo é justamente o contrário. Me traz segurança e desafios diferentes do tradicional pagar conta e chegar ao fim do mês reclamando da vida miserável no fundo de um escritório.




Novo App Rato Investidor, dinheiro faz dinheiro. 


Até a próxima senhores do milhão!!

sábado, 21 de maio de 2016

AS CINCO LEIS DE OURO - A QUINTA LEI



Hoje é fim do ciclo de postagem das “CINCO LEIS DE OURO” que ao longo da semana fomos relembrando do excelente clássico “O Homem Mais Rico da Babilônia”. Dessa vez não farei conclusões, mas citarei parte do clássico com a conclusão do próprio personagem. Recomendo a todos a leitura e estimo muito sucesso a todos nessa nossa jornada.

------

“O ouro escapa ao homem que o força a ganhos impossíveis ou que dá ouvidos aos conselhos enganosos de trapaceiros e fraudadores ou que confia em sua própria inexperiência e desejos românticos na hora de investi-lo. ”

"Propostas fantasiosas, que impressionam como as histórias de aventuras, sempre ocorrem ao novo proprietário de ouro. Elas surgem para dotar seu tesouro com poderes mágicos que o capacitarão a fazer ganhos impossíveis. Observem, porém, os homens sábios, pois eles conhecem verdadeiramente os riscos que se ocultam por trás de todos os planos para fazer grande riqueza rapidamente."

-----

… “Ainda pensam tratar-se de um capricho do destino que alguns homens tenham muito ouro, enquanto outros não têm nada? Pois estão errados.

Os homens têm muito dinheiro quando conhecem as cinco leis de ouro e sabem empregá-las.

Por ter aprendido e empregado bem essas cinco leis em minha juventude, hoje sou um rico comerciante. Não acumulei minha riqueza devido a um passe qualquer de mágica.

A riqueza que chega muito rápido vai embora da mesma maneira.

A riqueza que promove gozo e satisfação para seu proprietário constrói-se gradualmente, porque é uma criança nascida do conhecimento e da persistência.

Ganhar dinheiro é um peso fácil de carregar para o homem consciencioso. Ter paciência para com o fardo ano após ano acaba por levar à realização.

A observância das cinco leis de ouro traz sempre uma bela recompensa. ”...



Sucesso a todos !!




GEORGE SAMUEL CLASON nasceu em Louisiana, Missouri, em 7 de novembro de 1874. Freqüentou a University of Nebraska e serviu no exército americano durante a guerra entre a Espanha e os Estados Unidos. Começando uma longa carreira no mundo editorial, fundou a Clason Map Company of Denver, Colorado, e publicou o primeiro atlas rodoviário dos Estados Unidos e do Canadá. Em 1926, lançou o primeiro de uma série de panfletos sobre economia e sucessos financeiros, usando parábolas ambientadas na antiga Babilônia para ilustrar suas lições. Tais panfletos eram distribuídos em grandes quantidades pelos bancos, companhias de seguros e empregadores e tornaram-se familiares a milhões de pessoas, o mais famoso sendo O homem mais rico da Babilônia, a parábola-título deste livro. Estas "parábolas babilônicas" tornaram-se um clássico moderno entre os livros de auto-ajuda.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

AS CINCO LEIS DE OURO - A QUARTA LEI

“O ouro foge do homem que o emprega em negócios ou propósitos com os quais não está familiarizado ou que não contam com a aprovação daqueles que sabem poupá-lo.”

"O homem que tem moedas de ouro, mas não é hábil em seu manuseio, depara-se muitas vezes com situações aparentemente lucrativas. São amiúde prenhes de perigo de perda e, quando bem examinadas por homens sábios, revelam pequena possibilidade de lucro. Por isso, o inexperiente que possui ouro confia em seu próprio juízo e investe seu capital em negócios ou propósitos com os quais não se acha familiarizado, comete muitos erros e paga com seu tesouro pela falta de tarimba. Sábio, aliás, é aquele que investe o seu dinheiro de acordo com o conselho dos homens acostumados a lidar com finanças."

            Discordo em partes com essa lei pelo fato de discutirmos tanto ao longo dos três últimos posts sobre a forma que as notícias e as análises estão sendo divulgadas. 
É evidente que não me fechei em um mundo individualista, onde só eu sei de tudo e só minhas análises estão certas, até pelo fato de não possuir tirocínio suficiente para ser “autossuficiente”. Uma das maiores contribuições que percebo em nossa comuna é fato de todos sermos bem solidários e expressarmos sem constrangimento nossa opinião.

            Sempre que entro em um novo blog de nossos confrades e tenho tempo, tento ler os primeiros post e aprecio a evolução ao longo do tempo. Certa vez demorei uns dois dias só lendo post a post. Independente do tempo que passou, ou a quantidade de post’s, reparei que para aqueles que persistem, e aplicam com sabedoria a gerencia do seu “tesouro” o tempo é generoso. Até aqueles que não acumularam grandes patrimônios se portam de maneira diferenciada da grande maioria. O primeiro passo para independência financeira é a libertação da mentalidade escrava. Não adianta ganhar na mega-sena e achar que é rico. Se não souber manusear o montante e confiar no conselho de qualquer um,  o dinheiro acaba e acaba muito rápido. É a velha máxima, quanto mais alto, maior a queda. Realmente tem que ter experiência.

            Os posts estão menores, pois geralmente escrevo na hora do almoço e quase não tenho tempo de revisa-los. E  essa “maratona” de escrever todo dia é algo novo. Agradeço a todos a troca de experiência e opinião. Amanhã será a última lei de ouro. Forte abraço a todos! 


Piadinha rápida...


"ISSO, ISSO... COMPRA TUDO DE OGXP3, VAI DE ALL-IN QUE VAI DECOLAR AGORA..."

quarta-feira, 18 de maio de 2016

AS CINCO LEIS DE OURO - A TERCEIRA LEI


“O ouro busca a proteção do proprietário cauteloso que o investe de acordo com os conselhos de homens sábios em seu manuseio.”

"O ouro realmente busca a proteção do proprietário cauteloso e aborrece a companhia do insensato. O homem que procura o conselho dos mais sábios no manuseio do dinheiro aprende cedo a não pôr em risco o seu tesouro, mas preservá-lo em segurança e gozar com satisfação seu crescimento."

Todas as leis de alguma forma se ligam, de maneira que o complemento de uma a outra é o aprendizado como todo. Essa não seria diferente.

Nesses últimos meses consumi um vasto material financeiro, aonde identifiquei muitas tendências até mesmo inescrupulosas com relação ao que se expõem.

Uma vez rolando os comentários de um de nossos confrades, alguns chegaram até rotular como falta de caráter de certos analistas que ao verem o mercado como está e as perspectivas futuras, recomendam compra de péssimas empresas ou até moeda como proteção cambial. Quem foi na manada e comprou Dólar a mais de 4 reais, acabou por perder parte do capital alocado por conta das trocas de cenários. Tudo bem vale lembrar que a expectativa do mercado no inicio do ano era de R$ 4,50 o dólar no final do período, mas o cenário mudou e a orientação não. 

            Temos que filtrar muito bem as análises e investir no conhecimento. Tento ao máximo não ser investidor de cardume e fazer minhas escolhas. Se eu errar, foi por minha culpa, e terei a certeza que analisei da minha maneira o ativo. Evidente que não me isolei e sou contra a sardinhada. O que eu não quero de maneira nenhuma é ficar contra tudo e todos, apenas me cerco da maioria de informações possíveis e aquelas que considero que não tem valor excluo da minha lista.

Não é fácil, se fosse fácil era só fazer o que os Infomanadas da vida relatam e se encher de porcarias no Buy and Forget...

“Cotação da empresa AB Máquinas de Escrever sobe forte por conta da reportagem do Jornal Estadão de Juazeiro do Norte....”




E o que acontece!? A porcaria da ação desaba violentamente e o metido a trader rambo do teclado se enche de porcaria a preço de mercado (alto). Agora é rezar para algum dia cotação da ação dessa porcaria aumentar.

Diligência, essa é a minha palavra de ordem no cenário atual. Investir em valor e não em preço e notícia maluca.

Forte abraço !




terça-feira, 17 de maio de 2016

AS CINCO LEIS DE OURO - A SEGUNDA LEI

“O ouro trabalha diligente e satisfatoriamente para o homem prudente que, possuindo-o, encontra para ele um emprego lucrativo, multiplicando-o como os flocos de algodão no campo.”

"O ouro realmente é um trabalhador bem-disposto. Está sempre ávido por multiplicar-se quando a ocasião se apresenta. Para o homem que conserva separadamente uma determinada quantidade de ouro, sempre surgem oportunidades para um empreendimento lucrativo. À medida que os anos passam, ele se multiplica das maneiras mais surpreendentes."


Mais uma lei de ouro que se formos contextualizar aos dias atuais, veremos que nada mais é do que prudência,tempo e juros compostos. Nosso dinheiro trabalha fielmente quando sabemos o que queremos, dimensionamos os riscos e contamos com a mágica dos juros compostos para multiplicar o mesmo como “flocos de algodão no campo”.

            Acompanho o blog de vários confrades e apesar de não ser um “comentador” assíduo, sei um pouco da história de cada um e a luta quem vem empreendendo com relação a IF. Como leitor desses blogs, percebi que a grande maioria ainda não chegou nem na meia idade. Existem pessoas que já estão com família e filhos, estão mais acertados quanto ao quesito renda e patrimônio e outros que apenas estão começando a vida como eu. Quem acompanha o blog sabe que inicie a vida financeira tarde. Como todo bom brasileiro, não tive ensinamentos financeiros em casa e simplesmente fui criado sem dar o devido valor ao dinheiro. Sem problemas, a luz é questão apenas de escolha.

De todas as maneiras, percebo que por sermos relativamente novos, as altas taxas de juros brasileiras e o tempo conspiram ao nosso favor. O problema é que ser diligente em um país que a o pião do Baú gira as vezes tão rápido e por vezes até o contrário não é tarefa simples.  Contudo creio que com bastante inteligência, principalmente a emocional e financeira, poderemos ser cuidadosos e perseverantes ao longo do tempo.

O dinheiro realmente é um trabalhador bem disposto, mas o conhecimento é incansável. Devemos a cada dia plantar as sementes para que no futuro venhamos a colher os saborosos frutos da conquista.


Quando falo de inteligência emocional, é mais ou menos assim que temos que lidar com as análises muito loucas e por vezes mau caráter de analistas surtados do tipo manada...



Aiaiaiaiai meu deus a bolsa caiu... Aiaiaiaiai, enquanto isso o Tesouro Direto está bombando... Agora o FII está uma maravilha...porcaria... 

Brincadeiras a parte, tem que ter muita paciência com os ditos analistas de mercado mandando você vender tudo a tempo todo...


segunda-feira, 16 de maio de 2016

AS CINCO LEIS DE OURO - A PRIMEIRA LEI

“Para proveito de todos os que se acham aqui reunidos esta noite, lerei as sábias palavras de meu pai gravadas sobre a tabuinha de argila que ele me entregou faz hoje dez anos. Essas cinco leis de ouro gravadas, são tão valiosas quanto o próprio ouro, como ficará demonstrado pela continuação de minha história.”

Há muito tempo atrás tive a oportunidade de ler excelentes livros que me esclareceram algumas dúvidas e despertaram a vontade de guardar um pouco do que produzo para um dia quem sabe aproveitar o que o nossa terra querida e amada possa nos proporcionar.
O primeiro livro foi é claro o Pai Rico Pai Pobre. Este obra exemplar foi me apresentada em 2009 por um amigo de infância que ao ter acesso ao conteúdo e bastante tempo vago no trabalho, ficou muito impressionado com a forma de expressar um assunto relativamente chato (não para mim) com uma abordagem simples e de fácil compreensão. Notar que o nome deste blog é inspirado em um dos conceitos abordados no livro de Kiyosaki e espero que ele nunca venha me cobrar royalts. (Ba Dum Tss) 

            O segundo livro e mais trabalhoso de entender, foi o The Richest Man in Babylon, ou O Homem mais rico da Babilônia.

            Não, não virei rastafári e resolvi ler algo sobre os portões da babilônia, e tão pouco resolvi enrolar unzinho para defumar o ambiente. Trata-se de uma das mais perfeitas obras escritas 1926 por George Samuel Clason, onde exprime com realidade absurda, parábolas de pessoas como nós em tempos diferentes é claro, que queriam saber a natureza e os caminhos da riqueza.

O livro nos transporta para uma viagem na antiga Babilônia, onde viviam muitos homens ricos dos tempos antigos. Mesmo não possuindo riquezas naturais, a população desta região utilizou de sua capacidade para a criação de riqueza e prosperidade.

É um livro de educação financeira inicialmente escrito em panfleto, onde George Clason relata histórias de fracassos e sucessos financeiros que aconteceram na antiga Babilônia. Mesmo sendo uma cidade rica, existiam diversas pessoas que passavam por problemas financeiros.
Estes relatos podem servir de apoio para aqueles que estão enfrentando problemas financeiros nos dias atuais e, não conseguem imaginar como livrar-se deles.

            Muito embora a linguagem da época seja um pouco diferente os conceitos apresentados ainda podem e devem ser utilizados de maneira a captarmos mais, guardarmos mais.  Os  ensinamentos ali contidos são até hoje bastante difundidos de formas diferentes aos escritos.

            A minha ideia com esse post é apresentar as “5 Leis de Ouro” e quem saber relembrar ou demonstrar a todos que os caminhos da riquezas são os mesmo as muito tempo. Não é necessário reinventar a roda, somente aplicar as fórmulas já tão difundidas e conhecidas durante centenas de milhares de anos.



A Primeira Lei de Ouro

"O ouro vem de bom grado e numa quantidade crescente para todo homem que separa não menos de um décimo de seus ganhos, a fim de criar um fundo para o seu futuro e o de sua própria família."

"Todo homem que separar religiosamente um décimo de seus ganhos e investi-los sabiamente criará um considerável fundo que não somente lhe trará um vultoso rendimento futuro, como também protegerá sua família depois que os deuses o chamarem para o mundo da escuridão. A lei afirma igualmente que o ouro vem de bom grado para tal homem. Pude certificar-me disso em minha própria vida. Quanto mais ouro acumulei, mais prontamente ele veio até mim e em quantidades crescentes. As moedas de ouro que economizei ganham ainda mais moedas, como acontecerá com vocês mesmos, e seus lucros continuam ganhando. Esse é o resultado da primeira lei."


Acredito que todos nós sobreviventes da blogosfera estamos focados em separar de bom grado nosso ouro produzido. Esse conceito de colchão de segurança é sem dúvida o passo primário para todo aquele que deseja juntar dinheiro e fazer dinheiro do dinheiro. 

Não adianta alocar todo o capital disponível a risco e esquecer que o jogo é de vitórias e derrotas. Segurança também é bem vinda. Se quer ficar que nem o Tio Patinhas, tem que guardar um pouco. Só não vale ser tão sovino.





sexta-feira, 13 de maio de 2016

MINHA CARTA DE ALFORRIA OU E-MAIL

“Hoje encerra mais um ciclo da minha vida.

Muito que caminhei desde 2012 e ouso a dizer que sou um dos últimos da era “DA” no setor o qual integro. Ingressei nessa jornada pelo antigo programa de estágios onde aprendi a respeitar e valorizar o meu trabalho em conjunto a todos os esforços pessoais e coletivos.
Cresci de um jeito que não esperava ao ingressar nessa organização, reformulei os planos ao passar do tempo e cheguei a onde queria. Hoje saio feliz em busca novos desafios.

Devo muito do meu sucesso aos meus antigos mentores, que seguraram minha mão, me apoiaram quando mais precisei na vida pessoal/profissional e souberam a hora de largar quando eu já tinha condições de caminhar só. A eles expresso aqui minha gratidão, mesmo todos já não estando mais na empresa e nunca terem escutado isso de minha boca. Muito obrigado (estão em cópia).

Agradeço a minha atual equipe pelo companheiríssimo, profissionalismo e dedicação que vocês desempenham as suas funções e é claro pela amizade que aqui se formou.
Deixo para vocês uma frase que sigo fielmente: “Emprego é uma solução temporária para um problema constante”.

Até breve a todos e posteriormente marcaremos o Chopp.”

Acima demonstro a todos como será meu e-mail de despedida, pelo menos o rascunho. Pensei em milhares de coisas, pensei em fazer um texto até maior, mas quem sou eu no meio da multidão? Ninguém. Quatro anos se foram, fiquei mais velho, gordo e com menos paciência para as coisas. Acredito que a decisão de abandonar o navio foi uma das melhores mediante a tudo que venho vivendo atualmente.

Como escrevi em outros posts, solicitei que me desligassem da organização a qual trabalho. Acredito que oportunidade igual a essa nunca mais terá por aqui, realmente algo inédito. Foram 5 pessoas que entraram nessa barca.

Aviso prévio assinado, encerro meu ciclo nessa digníssima empresa e mês que vem farei um aporte melhor por conta da rescisão. Posteriormente espero adentrar em outra oportunidade. 

Tenho feito diversas entrevistas bem promissoras, mas por enquanto nada. Preciso mesmo é colocar a cabeça no lugar e um tempo em casa não me faria mal.

Hoje, dia 13/05, se todos os meus cálculos estiverem certos e a empresa não tratar de errar os pagamentos (acredite,  isso acontece o tempo todo), ficarei tranquilo por uns meses. A ideia é voltar o mais rápido possível ao mercado.



Enquanto isso.....



Minha cara quando o chefe "tetola" e a chupeta de baleia foram me demitir.

E minha equipe ???





                        Ritmo de festa.

Sei que é feio e alguns dirão que é antiético deixar de conduzir a equipe e deixar a vontade, mas como estou saindo e não tem tanta pressão no mês de maio, estou segurando a onda e deixando todos mais a vontade.

Chefe tetola: Tentou me tirar do sério. Mas o cara é um asno. Acha que sabe muito mas parou no tempo. O que ele mais tenta fazer é citar a antiga empresa, que por sinal não deve voltar nunca mais por ter saído mal. Coitado, está mais perdido do que cego é tiroteio. Acredito que a nova gestão vai terminar de estragar o resto do bolo fecal. O tempo irá dizer.

Nota¹: Que cara enjoado. Voz de piranha velha me perturba o dia inteiro. Mas o sorriso está estampado no meu rosto e ele não pode tirar.

Nota²: Calendário, meu calendário está que nem de cadeia. Faço um X bem grande e em vermelho ao final do dia, falta pouco agora.

Nota³: O colega vislumbrado. Tenho um colega que é pobre tanto de dinheiro quanto de intelecto. O cara é um bonobo, que a um tempo atrás largou a empresa por não aguentar pressão e voltou com o rabo entre as patas. Passou perrengue por ser um bosta e não ter formação cultural e nem profissional. Não planeja nada e vive de empréstimo e de louvar a Deus na igrejinha da favela. Esse asno outro dia falou que a Dilma mora na casa Branca....Deve ser, nunca fui a Brasília ver a cor do Palácio (cof, cof).

            Entre outras asneiras, esse macaco falou com todas as palavras que irei me arrepender, irei retroceder e verei que o mundo lá fora é muito diferente. Ignorei-o e como um bom político e manobrei as profecias do bonobo com um bom gentleman.

            Para o inferno.... Não vou nem comentar nada. Ele deve achar que todos são iguais a ele, acomodado, duro, cheio de macacos para sustentar com um salário miserável, suportando tudo de ruim que uma empresa pode descarregar nas costas.

Risco eu sei que tem. Mas nesse momento preciso dessa alforria e não vai ser ele que vai me desanimar. Acredito sim que o trabalho é uma solução temporária para um problema constante.

Para ele deixo essa :