quinta-feira, 31 de março de 2016

ATUALIZAÇÃO PATRIMONIAL MAR/16 (- 20,04 % ou – R$ 1.752,81)

Introdução

Este post será em dose dupla.  Trago até vocês duas situações que impactaram no mês de março e irão impactar por um bom tempo (positivamente). 

A primeira é o desfecho da operação lata velha.  Gostaria de aproveitar e agradecer o apoio de todos que acompanharam essa humilde bagaça. 

A segunda é o tradicional fechamento mês. Vamos lá... 


Chapter one: O fim da escravidão bancária. 


Com o desfecho da venda do populixo, objeto do último post, consegui quitar o último vínculo com o Banco Divitaú. 

O empréstimo pessoal que eu havia tomado em 2014, já me sufocara tanto,  que nos dias atuais já não me fazia tanta diferença. Havia aceitado carregar essa cruz. 

Percebi como a Matrix te faz pensar que está tudo bem, mesmo quando as coisas não estão. A propaganda é clara, tome empréstimo e seja feliz. 

Eu já não ligava mais para ser assaltado mensalmente (R$ 641,00) em parcelas que mal amortizavam o saldo devedor.

O detalhe mais importante é o fato que empréstimo ainda iria vigorar até Janeiro de 2019. Ou seja, eu ia perder pra lá de R$ 20 K só de juros,  ficando com minha liquidez comprometida por muito tempo. 


Hoje quando olhei no internetbank, e vi essa imagem acima, suspirei aliviado. Ufa !


A venda do carro acabou sendo  duas pauladas nos problemas de uma só vez . O carro já estava me dando dor de cabeça,  pois foi bastante mal tratado pelo antigo dono e nunca, digo NUNCA passou por revisão alguma. Freios, Rodas, Amortecedor, Correia, Vidro, Lataria, estava tudo tão bombardeado pelo uso, que quando vi a pica que iria segurar, preferi jogar ela avanço.

A economia no ano de 2016 será de mais de 7K (estimativa) entre empréstimos, gasolina,multa, IPVA, manutenção e outros. 

Vendi, com prejuízo, mas vendi bem. Peguei uma parte das economias e quitei o que devia sem exitar. 

Minha criação de chimpa bostileira e meu senso de acumulação lusitana, estavam me impedindo de progredir nessa questão. Me desapegar do carro que era minha zona de conforto e da grana que juntei com tanto esforço ao longo desses meses, estava me corroendo e me tirando o sono. CONSEGUI !  

Quando converso sobre isso, as pessoas me olham estranho. “Como que um cara que está com menos dinheiro está tão feliz ?” (Elas perguntam). A explicação é simples, eu não devo mais porra nenhuma. Pelo menos no médio  prazo. Kkkk

É o fim da escravidão/dependência bancária.

Carteira de investimentos atualizada


Como é possível observar tive uma redução drástica no que tange valores e produtos. Sem problemas, a partir de abril terei folego para fazer aportes mais gordos! Agora o coro vai comer !!!


Modalidade nova. Empréstimo em curto prazo. Foi apenas uma ocasionalidade. E como tenho confiança no pagamento,  posso considerar no meu ativo também.

Balanço Patrimonial (reduzido)

Gerencio minhas contas em alusão à uma empresa, sempre estou avaliando a saúde financeira a todo tempo. 

Desta vez farei o balanço do primeiro trimestre de 2016. Vocês verão uma diminuição violenta do ativo (venda carro), mas principalmente a diminuição expressiva do Passivo, restando apenas as situações corriqueiras de sobrevivência. 

Um outro ponto a destacar é o fato do meu Patrimônio Líquido está aumentando, não foi grandes saltos, mas tenho certeza, com a diminuição do meu passivo, minha saúde financeira começará a ganhar folego e vitalidade.

As figuras falam por sí. Vejam que a coisas estão andando. \O/



1T16


Conclusão

Estou muito feliz, mesmo sem carro.  Quando olho no horizonte e os modelos matemáticos que fico bolando em Excel,  vejo que no longo prazo terei sucesso.  Fico muito animado e principalmente focado. Agora é trabalhar duro e aportar pesado. O resto é piloto automático.

Não seja escravo do banco. Muitas pessoas são escravas do consumo e tudo que produzem entregam de mão beijada para o sistema financeiro. Nem ao menos têm a possibilidade de utilizar parte do suor sagrado. Eu decidi sair desse cardume de sardinha a todo custo.



Agora toca a musiquinha aí... 

segunda-feira, 14 de março de 2016

Operação Lata Velha

Quem acompanha o Blog sabe que já tive moto, dívidas, 7 esposas, 1 sítio em Atibaia, 1 triplex no Guarujá e vontade de enfiar a cabeça em um buraco. Nada era meu só a vergonha alheia. E por hora, apenas  tenho um populixo que chamo de carro.

O título do post é bem interessante, já que nesse momento o populixo para mim é quase uma lata velha em plena desvalorização.

Ano passado no auge das gastanças (junto com meu amigo Adriano o Imperador), resolvi me livrar de minha moto (Yamaha Lander 250), e comprar um carro para assim alcançar um pouco mais de conforto. Que burrada...


 Saudades da minha moto...

Na ocasião, me esqueci completamente de quanto ganhava e quanto gastava e do que eu já havia me comprometido em pagar.
Com um salário completamente lixoso, cerca de 37,5% a menor do que é hoje, eu tinha dificuldades até de soltar um peido e não ficar preocupado se sobraria dinheiro para pagar o papel caso eu me caga-se.

O problema todo está no vicio de comprar. Nunca fui alfabetizado financeiramente, apesar de ter uma mãe que fazia dinheiro do nada (e gastava também) e um pai que sempre mamou debaixo da vaca da Petrobras. Como todo bostileiro mediano, tive imensas dificuldades na vida adulta, que só consegui arrumar ou tentar, depois de levar vários tapas na cara.

A última grande burrada de 2015, foi comprar um carro de um doidão aqui do RJ, que convenhamos, me passou a perna bonito e me vendeu uma bomba. O cara simplesmente usava o carro como jumento de garimpeiro. Se morrer foda-se, deixa largado em qualquer canto. Quando peguei o carro logo percebi vários problemas pequenos até uns bem expressivos, tipo a porta empenada que entrava água toda vez que chovia um pouco.

E ae foi.... Um ano se passou e cá estou com essa lata velha. O problema todo não é só o carro. Quando comprei eu já tinha tomado crédito do banco a certo tempo, e simplesmente peguei o resto do que eu tinha guardado na poupança, como colchão de segurança ou sei lá o qual era o nome que eu dava na época e torrei comprando essa bodega.

Que furada....

Em 2015.2 as coisas melhoraram, as contas foram perfeitamente ajustadas e o carro até me deu algumas alegrias.... Masssss eu poderia está melhor !

Fiz umas contas grosseiras considerando a partir de abril deste ano:

Hoje a caranga vale no máximo 12 K Dilmas. A dívida em valor presente também vale em torno disso, 12,5K Dilmas.

Mesmo sendo muquirana e colocando só R$ 100 de gasolina, vai se embora um dinheiro forte. E considerando que tem as taxas com IPVA e uma multa por avanço de sinal, tenho ainda uns R$ 800 a pagar pro governador Pezão.

Então vamos a matemática simples e pura. Se eu vender a partir de abril (já está anunciando) e quitar o que devo, conseguirei aumentar um “pouco” os aportes e talvez melhorar até o padrão que ando vivendo. 

Uma vez que eu não terei ainda por vir quase 30 x de sufocantes parcelas de empréstimos e a obrigação de arcar com um carro que só desvaloriza e me tirar o sono, só nesse ano a economia seria de quase 9 K (vide tabela). 




Até acabar o empréstimo a economia seria de quase 25 K.

A merda toda é que ninguém está comprando nada ... Todos que aparecem simplesmente querem fazer rolo, mas sigo forte no plano de venda.  Costumo falar em casa.. Se não aparecer até Janeiro de 2017 eu vendo pelo valor da dívida que será na época R$ 10 K ... 

Antes que alguém critique, o financiamento está controlado, e não tenho planos de mexer nas reservas, pois a empresa que trabalho é uma merda e a qualquer momento tudo pode afundar ... Se tudo afundar o carro será o menor dos problemas. Deixa o banco gritar, o importante é eu meu bucho não gritar de fome.

Não me preocupa ficar a pé, pois faço tudo de Metrô. Meus horários são tranquilos e a partir da venda serei adepto do UBER. Simplesmente cansei de ter veículo no bostil. Só prejuízo.

Quem souber quem queira o carro, abaixo umas fotos para ilustrar o plano. Espero que agrade a todos.


 Me desejem sorte !


domingo, 6 de março de 2016

Esse realmente é fora de série !


ENRIQUECER É QUESTÃO DE ESCOLHA

Você tem o desejo de enriquecer mas não sabe por onde começar? Disciplina, organização e tempo dedicado são fundamentais! 

Quer ouvir mais dicas? Com a palavra, o especialista em educação financeira, Gustavo Cerbasi. Play?



terça-feira, 1 de março de 2016

ATUALIZAÇÃO PATRIMONIAL FEV/16 (+ 4,34 % ou + 436,51)

Rumo ao topo e em marcha lenta!  O ano tem apenas 2 meses fechados e simplesmente já estou detestando 20165.

Fevereiro, como todo bom início de ano, temos aqui no Inferno de Janeiro a bagunça prometida.

Como morador da cidade, não sei explicar o que passa na cabeça das pessoas por aqui para fazer tanta merda em torno de uma data. Como não gosto, não recomendo, simplesmente viajei para bem longe disso tudo. 

Quem acompanha o blog sabe que nesse feriado de Carnaval estive em SP, mas exatamente em Santo Antônio do Pinhal. 


Não tenho o que falar de Santo Antônio, realmente é o que dizem “Bonita por natureza”.  Não vou fazer review da viagem, pois esse não é o intuito do post, mas quem puder visitar e conhecer, aconselho prontamente.

Gasto vai, gasto vem, carro quebra, despesas surpresas, fecho o mês chupando o dedo, contudo feliz com o que pude fazer e aproveitar. 

Fevereiro realmente para mim é o pior mês para investimentos e definitivamente  o pior para quem trabalha no ramo contábil (like me).

Vamos ao que interessa:

     1.       Carteira continua posicionada em renda fixa, mais especificamente no Tesouro Dilma e Poupança:




     2.       Como havia dito, estou realocando recursos na poupança, uma alternativa que para muitos parece um erro, e para mim significa não mexer em produtos que são de médio prazo;

      3.       Tenho resistido a toda turbulência imposta pela matrix, com outro mês de crescimento baixo, contudo ainda com crescimento.  A carteira irá deslanchar com a “operação lata velha” que irei postar depois, e claro com a finalização dos pagamentos da faculdade;

      4.       Meu balanço patrimonial ainda está  consistente, hoje, se caso tudo der errado, tenho estalecas para ficar um tempo procurando outra oportunidade sem abaixar muito o padrão de vida. Se considerarmos apenas líquido das aplicações já tenho 4 meses de sobrevida. Firme e forte rumo a construção do colchão de segurança (12 meses de despesas pagas):





Com essa chefa, não me admira está todo mundo dançando....